Cultivo Protegido e o Uso do Plástico na Agricultura

26 06 2010

Desde 1994 a Hortitec vem crescendo em número de expositores e visitantes. Produtores, alunos de colégios técnicos e faculdades ligadas à área da agricultura, e empresários que buscam novas informações e tecnologias no ramo da horticultura, cultivo protegido e culturas intensivas, foco da feira, estavam presentes no último evento ocorrido nos dias 16, 17 e 18 de junho na cidade de Holambra – SP.

Quem teve a oportunidade de participar do evento pode observar como o Brasil e o mundo está evoluindo suas tecnologias e a capacitação dos profissionais e produtores agrícolas, buscando trazer soluções e inovações para a agricultura.

Partindo do tema Cultivo Protegido gostaria de discorrer um pouco sobre sua história, tipos de cultivo protegido com o plástico e algumas culturas, por que utilizar este sistema, seus benefícios e o futuro deste mercado.

Com o surgimento das indústrias petroquímicas na década de 30 e após a Segunda Guerra Mundial o plástico iniciou-se sua utilização no meio agrícola substituindo materiais como madeira, vidro, ferro e cimento, minimizando os custos e inovando as técnicas de produção. No Brasil sua utilização ganhou força na década de 80 com a forte atuação das empresas fabricantes de plásticos, hoje o material mais utilizado em cultivos protegidos para plantas.

A foto área ao lodo foi tirada na região da Almería, na Espanha, conhecida como “El Mar Del Plástico” ( O Mar de Plástico). Simplesmente incrível!

Existem várias maneiras de proteger as culturas utilizando-se o plástico tais como, por exemplo, tipo mulching em morangos, túnel baixo na produção de rúculas, túnel alto para alfaces e estufas para flores, podendo até ser feito sem a utilização do solo, característica do cultivo hidropônico.

Através do sistema de proteção ao cultivo obtêm-se como resultados positivos, fazendo-se o uso correto, a ampliação do período de produção, proteção contra geadas, chuvas, ventos e animais, controle de temperatura, umidade e radiação minimizando o aparecimento de doenças e pragas reduzindo o uso de defensivos e eficiência do uso da água. Estes fatores resumem em: Aumento da Produtividade para o produtor.

Instituições como o Comitê Brasileiro de Desenvolvimento e Aplicação de Plásticos na Agricultura (Cobapla) contribuem desde 1997 promovendo o desenvolvimento tecnológico e científico da plasticultura, realizando eventos, como a Agriplast, para a disseminação de informações para a evolução contínua e crescente desse mercado. Especialistas na área avaliam o crescimento do uso do plástico na agricultura brasileira é de 10% ao ano, devido a seu potencial de desenvolvimento.

Não há dúvidas que este setor é forte e eficiente. Cabe a nós, profissionais da área agrícola, entender melhor a utilização deste material na produção e passar aos produtores de frutas, hortaliças e flores essa técnica de cultivo.

Mateus T. Zerbinati








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.